quarta-feira, 6 de abril de 2011

Fragmentos de uma possibilidade


Ola povo de DEUS quanto tempo eu já não escrevo não? Mas eu quero compartilhar com vocês um texto muito lindo que eu li no site do Thiago Grulha, servo do Senhor, leiam:

Os bancos estavam lotados e os gritos de alegria confirmavam a animação das pessoas sentadas ao meu lado.
Lágrimas e sorrisos se revezavam nos rostos emocionados. Era difícil ver alguém indiferente.
Eu, ainda novo e desatento, não entendia muito bem o que acontecia, mas sentia vontade de participar daquilo.
Sentir algo percorrendo-me de um jeito renovador e sobrenatural parecia ser uma experiência digna de ser desejada e com certeza a desejei.
Dobrei meus joelhos e repeti palavras sinceras enquanto tentava pensar em Deus. Pensei em nuvens, ruas de ouro, anjos sobrevoando um trono majestoso e muita coca-cola espalhada pelo lugar.
Porém, este céu não me interessou naquele momento. A verdade é que eu não me sentia atraído por nada disso, a não ser pela coca-cola, desde que estivesse bem gelada e fosse de graça.
Abri meus olhos com uma certa frustração. Eu não sentia o que eles sentiam.
Foi então que vi um garoto no meio da multidão. Ele caminhava trôpego em busca de alguma coisa. Segui seus passos com meu olhar de menino e vi seus pés o levarem até o colo de um homem de sorriso largo.
Nos braços fortes daquele rapaz de cabelo já grisalho, aquela criança brilhava como uma constelação.
Ele não chorava e nem tremia como muitos faziam. Ele apenas desfrutava de um colo acolhedor.
Sorri para minha alma e a convidei a orar novamente. Entusiasmado voltei a tocar o chão com meus joelhos escondidos na calça azul escura. E ali, rodeado por gente cheia de experiências com Deus, voltei meu pensamento para o rosto do garoto caminhando para os braços de seu pai, sim, algo me dizia que aquele homem era o seu pai.
Sem conseguir impedir que meu coração acelerasse, pensei no céu. E como quis estar lá.
Não eram nuvens, anjos ou ruas douradas que me arrebatavam o coração. Tudo em mim queria se esparramar no colo do Pai.
Sentimentos fervilhavam no meu peito e imaginei como seria especial receber o olhar de Deus nos portais celestiais e ouvi-lO dizer:

- Guardei esta coca-cola para você meu filho, vamos bebê-la juntos?

Thiago Grulha www.thiagogrulha.com.br