Pular para o conteúdo principal

Amor no espelho


Certa vez os fariseus questionaram Jesus sobre qual seria o grande mandamento da Lei (Mt 22.36-40). Respondendo, Ele afirma que toda a Lei e os profetas dependiam de duas ordenanças: "Ame o Senhor, seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento" e "ame o seu próximo como a si mesmo". Jesus é perguntado sobre o grande mandamento da Lei, e responde que não há um, mas dois. Mas ambos são equivalentes, pois o segundo é introduzido com a qualificação de "ser semelhante ao primeiro", e todas as 365 proibições e 248 obrigações são-lhes subordinadas. Há uma sugestão de interdependência entre ambos, como se fosse as faces de uma mesma moeda.


Ainda assim, há uma sutil hierarquia, pois o amar a Deus vem em primeiro. Talvez porque não dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço, nem duas palavras podem ser pronunciadas simultaneamente pela mesma pessoa. Mas provavelmente para definir o termo "amor" Jesus escolheu esta ordem, pois, do contrário, qual seria o significado do termo?


Deus, a quem não se vê, deve ser amado completamente, em todas as esferas da existência humana: racionalidade, sentimentos e espiritualidade. E nos dois textos paralelos é acrescido "com toda a sua força" (Mc 12.28-34 e Lc 10:25-28). A definição deste amor condiciona o mandamento similar.


O próximo, a quem se vê, com quem se interage deve ser amado de uma única maneira: como a si mesmo. Mas como é amar ao próximo como a si mesmo?


Amar a Deus implica no uso da razão, e não apenas da emoção. Não é um sentimento isolado, mas um fator que une as esferas possíveis da existência humana. E Jesus não anula, na conversa, os 613 mandamentos contabilizados pelos fariseus. Amar, portanto, implica em atitudes; para com Deus e para com o próximo.


O próximo como a mim mesmo implica que ele é meu espelho, meu reflexo. Que ele é eu! E eu sou ele!


Mas Jesus não parece estar ensinando que todos os seres humanos são, enquanto seres, um só. Talvez estivesse em Sua mente o desafio de que Seus discípulos tomassem a Trindade como exemplo: Três Pessoas, mas Uma só; Uma só, mas Três Pessoas.


As ideias de um filósofo do século XVIII, Immanuel Kant, dão uma perspectiva nova a este aspecto. Amar o próximo como a si mesmo equivale afirmar que o próximo é meu igual, em direitos e deveres. Não sou maior ou menor, enquanto pessoa, que ele, e o meu próximo não é maior ou menor, enquanto pessoa, que eu. Somos iguais. A minha dignidade é a sua; a dignidade dele é a minha. O que lhe faço, faço a mim mesmo, e o que ele me faz, faz a si mesmo. Usá-lo como objeto é reduzir a minha humanidade; ser por ele usado como objeto é reduzir-lhe a sua.


Neste ponto de Seu Evangelho, Jesus propõe as bases do que poderia ser um sistema ético universal. Como o filósofo tinha, no mínimo, fortes raízes cristãs de perspectiva luterana, talvez tenha se inspirado neste trecho para cunhar sua filosofia moral - sua ética:
1. aquilo que você deseja como correto deverá ser correto para todas as demais pessoas (para o seu próximo)
2. as ações humanas não podem tomar o ser humano como objeto, mas têm no homem o seu fim
3. aquilo que propomos como norma deve ser primeiro obedecido por nós.


A proposta kantiana parece estar de acordo com o primeiro mandamento da Lei, como definido por Jesus. E a este mandamento todos os que dizem ser Seus discípulos são obrigados a obedecer.


Mas é o amor a Deus que dá forma ao amor ao próximo como a nós mesmos. E é Ele que nos ensina como é amar. como bem lembra o apóstolo Joâo: "nós amamos porque Ele nos amou primeiro" (I Jo 4.19).


E a doutrina da graça comum é a que melhor ensina sobre a natureza do Seu amor: a criação não é jogada ao lixo com a queda de Adão, mas a ele são dadas condições para enfrentar agora um mundo hostil; o sol nasce sobre aqueles que recusam a crer, e a obedecer, ao Deus Criador assim como sobre aqueles que a Ele hipotecam obediência; ainda que o mundo todo esteja sob o poder do Diabo (I Jo 5.19) a bondade é encontrada em toda parte, assim como a busca pelo belo, bom e justo. O que a doutrina da graça comum ensina é que Deus não limita sua ação (seu amor, porque amor não é sentimento, é atitude) pela crença ou descrença da humanidade, mas permanece, em amor, dela cuidando.

Eduardo Ribeiro Mundim

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

E ai o pastor vai prestar conta da alma de suas ovelhas ou não??

Hebreus 13: 17 “Obedecei a vossos pastores e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossa alma, como aquelesque hão de dar contadelas;para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vosseriaútil.”Bom muitos pastores tem usado deste versículo para argumentar que darão conta de nossas almas, mas a mesma palavra de DEUS diz na carta aos ROMANOS 14:12“De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus.”Mas então há controvérsias na palavra de DEUS, pois se cada vai prestar conta de si mesmo, como poderia o PASTORES prestar conta de nós ?Bom eu entendo que no português claro quando se usa o “COMO” e no caso “COMO AQUELES”, indica uma suposição, a palavra de DEUS supõe que os pastores velam pela nossa alma, isto é eles cuidam das nossas almas COMO SE FOSSE eles que vão dar conta dela, mas é uma suposição, caso contrario a palavra traz controvérsias, essa passagem fica mais clara ainda quando lida não tradução da linguagem de hoje veja:“Obedeçam aos seus líderes e sigam as…

“Por que estás abatida, ó minha alma?”

A quem buscaremos? A quemlouvaremos? A quem adoraremos?


Para os momentos de dor não há idade e nem cor. Não há classe social nem condições financeiras. Não depende da igreja que você congrega, isto é, se você congrega... Todos, em algum momento da vida, já passaram pelo sofrimento, pois todos os dias somos lançados ao mundo como ovelhas para o matadouro, sujeitos a todas as paixões, pressões e sentimentos próprios do ser humano. Conhecemos palavras tias como amor, perseguição, deserto, mas, o que dizer quando estamos abatidos? No dicionário, o significado da palavra “abatido” é surpreendente: “caído, derrubado, diminuído, prostrado, enfraquecido, debilitado, cansado, deprimido, desanimado...” São tantas definições, palavras tão negativas, mas que são familiares para quem as vive. É por isso que os salmos 42 e 43 são tão lindos; escritos, especificamente, para aqueles que se encontram abatidos.
Às vezes, eu imagino Deus olhando do seu alto e sublime Trono aqueles que se encontram assim; …

O que te faz perder o sono ?

Olá amados já faz um tempão q eu não escrevo, mas sabe aquelas noites em que você sem saber o porque não consegue dormir? Então essa noite (19/06/2011) foi uma dessas noites pra mim, e lá estava eu sem sono em plena madrugada e aí decidi fazer algo que já havia tempo que eu não fazia que era escrever, mas escrever o que, sobre quem, do que eu poderia falar em uma noite sem sono, bom eu poderia falar de um monte de coisas, mas eu gostaria de falar de algo especial que é O que te faz perder o sono?
Sabe tenho vivido dias maravilhosos ao lado da minha linda Ana Paula, uma benção que Deus me deu para eu amar, eu só tenho a agradecer a Deus por isso, mas eu fico pensando, as vezes Deus nos da bênçãos maravilhosas e o que nos temos dado para Deus ? Quanto do nosso tempo a gente dedica a Deus? Quantas vezes deixamos de fazer algo para ficar a sós com Deus? 
Aaa essa noite vai ser longa ! Quantas respostas tenho que dar ao meu Deus !
Mas o que realmente tem feito você perder o sono, sei la talve…